Em
Correio de Azeméis

27 Jan 2022

Aos 104 anos sem assistência médica em casa

Notas do diretor

Com a respeitável idade de 104 anos é muito natural que a senhora Laurinda Silva não se possa deslocar ao centro de saúde. Precisa que o médico de família vá a sua casa. A senhora tem direito à qualidade de vida, a melhor possível no tempo que ainda lhe resta. Os seus familiares são mais felizes com a sua companhia. Lutam pela continuidade da sua vida com saúde. Todas as vidas são importantes. Muito importantes. A vida da senhora que já vive há 104 anos tem de certeza uma história rica, também de trabalho, que merece todo o carinho da sociedade. É com tristeza que damos notícia deste caso. Quero acreditar que a assistência médica não se deslocou à residência da paciente por motivos justificáveis, ou mesmo por imposição de normas. O que, a ser assim, fica-se a lamentar uma certa insensibilidade dos serviços e profissões que juraram dedicar-se a pugnar por cada vida. 
EDUARDO COSTA, diretor 
 

Partilhar nas redes sociais

Comente Aqui!









Últimas Notícias
Villa Cesari encerra época de atletismo com "balanço muito positivo"
12/07/2024
"Vamos subir à Elite. O FC Cesarense merece estar no mínimo nessa divisão"
12/07/2024
Largo da República repleto para noite de stand-up comedy e Dj Vero
12/07/2024
Noite Branca já começa a ganhar forma em Carregosa
12/07/2024
EBS Dr. Ferreira da Silva é quarta melhor escola pública do país
12/07/2024
UD Oliveirense apresenta-se aos sócios dia 27 de julho
12/07/2024
Zé Manuel é o 4º reforço da UD Oliveirense para a próxima época
12/07/2024
Bemposta Manuelina regressa em agosto
11/07/2024