Em
Correio de Azeméis

21 Jun 2023

Instalações dos Bombeiros vão ser ampliadas

Destaques Concelho

A - Construção do acesso direto à Av. D. Maria I; B - Local do Centro Operacional e Logística; C - Zona onde vai ficar a nova central; D - Onde vai nascer o auditório e consequentemente uma parada coberta para 250 bombeiros

> Nelson Castro, vice-presidente dos B. V. de O. Azeméis, explica o projeto à Azeméis TV/FM

Inserido nas comemorações dos 117 anos da corporação dos Bombeiros Voluntários de Oliveira de Azeméis, na passada noite de sexta-feira, foi feita a apresentação pública do projeto de ampliação e remodelação do projeto do atual quartel operacional. O mesmo está dividido em quatro fases de execução e todos podem contribuir e ajudar para a sua execução ser possível.

Fase B - Centro Operacional e Logística
Fase C - A passagem da central (local onde são recebidos os alertas) para a frente do quartel
Fase D - Construção de um adutitório e de uma parada coberta 
Vista geral das novas instalações

Dividido em fase A, B, C e D, consoante a prioridade de construção e execução da obra, a primeira etapa (Fase A) é o acesso direto das viaturas do quartel à Av. D. Maria I e à ‘rotunda do bombeiro’ “um acesso com segurança, rapidez e fluidez. Conseguimos isso através de uns beneméritos que nos cederam uma área de terreno. A partir da rotunda temos fácil acesso à IC2, às autoestradas, ao núcleo urbano de Oliveira de Azeméis e qualquer parte das nossas freguesias. Esta será a primeira fase, temos já o projeto para ser licenciado”, começou por explicar o arquiteto autor e vice-presidente da direção dos bombeiros Nelson Castro, à Azeméis TV/FM, acreditando a direção que até ao final deste ano seja possível concretizar. Passando para a Fase B o objetivo é a construção de um ‘Centro Operacional e Logística’, previsto no valor de cerca de meio milhão de euros, este equipamento vai contar “com seis entradas, onde uma será entrada de oficina e outra será um centro de desinfeção para as viaturas. Estas portas têm a particularidade de que podem passar duas viaturas sem qualquer problema”, tendo ainda uma sala de instrução e outra de formação.
Na Fase C o objetivo será passar a central (local onde são recebidos os alertas e os pedidos de socorro), para a frente do quartel, aumentado a visibilidade do exterior. Esta será composta por uma casa de banho e uma sala de crise. “No meu ponto de vista e do comando, a atual central está muito mal localizada. A partir daqui a central vai poder controlar todas as portas por comando e terá um atendimento para o exterior”, prosseguiu Nelson Castro, que explicou ainda que nesta zona será criada uma sala do bombeiro e ainda um espaço para a Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Oliveira de Azeméis.
Por fim, a fase D, é a criação de um auditório e de uma parada solene coberta para 250 bombeiros, com a altura de quase seis metro de altura, “funcionado como plano B caso tenhamos alguma situação na entrada e saída principal, mantemos a entrada e saída já existente (por trás do quartel) e os carros conseguirem passar por debaixo do edifício que será o auditório”, explicou o arquiteto responsável, à Azeméis TV/FM.  Este auditório terá uma ligação ao edifício já existente e no edifício atual será ainda criada uma zona de museologia, para expor alguma da história da corporação.

“O quartel tem cerca de 12 anos e há necessidades que temos diariamente na resposta operacional, nesse âmbito foi pensado o ‘Centro Operacional e Logística’ e nas respostas no âmbito operacional. A criação de uma oficina digna para conseguirmos trabalhar e fazermos todo o tipo de manutenção. Uma zona de lavagem e desinfeção de viaturas há muito pedido. Outros dos problemas é a zona da nossa garagem que não temos espaço para todos os carros, atualmente temos viatura que estão no quartel sede devido a essa falta de espaço. Na parte logística temos as questões de arrecadações que não temos e é bom para conseguirmos acondicionar todo o nosso material em zonas especificas. A sala do bombeiro é sempre uma mais valia, porque precisamos de dar condições aos nossos bombeiros e sem eles não há socorro em Oliveira de Azeméis, temos de trabalhar neste sentido. Relativo à central, é o cérebro do quartel e atualmente o espaço é pequeno, a zona visual limita-nos, por isso a possível alteração vai-nos dar outro suporto, tal como a criação de uma sala de gestão de ocorrências, acompanhando as mesmas em tempo real.”
António Justino, comandante do BV de Oliveira de Azeméis

 

“Fiquei muito satisfeito por perceber que a direção dos bombeiros quer criar um conjunto de condições que permitem melhores respostas operacionais e melhores repostas de proteção e socorro à nossa população e dou os parabéns ao arquiteto Nelson Castro pelo projeto. Temos de dizer ‘presente’ sempre que esteja em causa a criação de condições para que os nossos bombeiros possam a nível de operacionalidade e para o seu cotidiano ter as melhores condições. Até agora com a direção tivemos um processo de acompanhamento, onde nos foi explicado aquilo que se pretendia fazer e onde nos foi apresentado previamente o projeto e foram-nos dadas as razões para as necessidades do projeto. Agora temos de unir esforços e a comunidade tem de estar disponível, para apoiar os bombeiros na concretização deste sonho.”
Joaquim Jorge, presidente da câmara municipal 

 

>Todos podem ajudar através do IBAN: PT50 001800032291896502078
PRR e PT 2030 podem financiar

Depois do autor do projeto, Nelson Castro, oferecer o mesmo gratuitamente aos bombeiros a questão do financiamento para avançar com as frentes de obra são a principal preocupação. João Pinho, presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Oliveira de Azeméis, em declarações à Azeméis TV/FM, explicou como vai ser isto possível e apelou à ajuda de toda a comunidade oliveirense.
“Nós antecipamos o mais rápido possível a elaboração do projeto, porque vem de um desafio lançado pela autarquia daquilo que são verbas que podem vir no PRR e no programa Portugal 2030, temos isso previsto. É muito importante já termos tudo preparado, para fazer a candidatura, que ainda não estão abertas. Temos de ser muito rápidos na candidatura, daí já estarmos a trabalhar arduamente no projeto, se não corremos o risco de os fundos se esgotarem. No entanto, sabemos que isso não vai pagar tudo, talvez nem metade. Iniciamos assim uma campanha de angariação de fundos, o licenciamento já está na fase de submissão e esperamos ter ajuda daqueles que sempre nos ajudaram. Todos vão ajudar com aquilo que podem e cada euro é importante.”
João Pinho, presidente da Ass. Humanitáris dos B.V. de Oliveira de Azeméis  

Partilhar nas redes sociais

Comente Aqui!









Últimas Notícias
16 anos de Família McDonald's de São João da Madeira
18/07/2024
Campeões da UDO recebidos pela câmara municipal
18/07/2024
Pinheiro da Bemposta ganhou nova superfície comercial
18/07/2024
Homem ferido em colisão entre bicicleta e automóvel
18/07/2024
Homem ferido em acidente nas obras da Linha do Vouga
18/07/2024
Avenida João Pinto Bessa (Cucujães) vai ser requalificada
18/07/2024
Oliveirense jogou o terceiro amigável desta pré-época
17/07/2024
Estádio do Mergulhão vai ser casa do C. Albergaria
17/07/2024