O TEMPO e OS CEM ANOS DO CORREIO DE AZEMÉIS

Ana Isabel da Costa e Silva

Ana Isabel da Costa e Silva *

Gonçalo M. Tavares refere que uma das marcas de se ser contemporâneo é a possibilidade de definir começos1. Esta frase comporta uma mensagem de esperança. 

Somos mais informados e temos a possibilidade, como lembra o mesmo autor, no mesmo espaço físico, lado a lado, consultar um livro do século X a.C. e um livro escrito em 2005. Ou seja, consultar informação de um tempo e ‘saltar’, na mesma hora, para o tempo presente, no mesmo espaço físico, capacita que os efeitos que a leitura de determinadas ideias provoca possam adquirir maior importância do que a data em que essas ideias foram escritas2.

O tempo é (...) a nossa oportunidade para aprender a viver com sabedoria, segundo Tolentino de Mendonça.
Mas é preciso por vezes tirar os olhos do presente, conforme lembra Gonçalo M. Tavares, e dar oportunidade ao passado. Ao tirar os olhos do presente e olhar o passado, dá-se a oportunidade de distanciamento. E, como refere Tolentino Mendonça, na distância, as perguntas mais decisivas avizinham-se e não nos defendemos delas, como é nosso hábito3

Consultar as notícias no jornal antigo é uma experiência que nos permite viajar no tempo, como se as palavras tivessem tempo dentro delas e esse tempo fosse variando de acordo com a aceleração ou pasmaceira dos dias4, refere Gonçalo M. Tavares.

Por conseguinte, aos nossos decisores políticos faço um apelo: percorram algumas notícias do Correio de Azeméis para que os efeitos da leitura possam determinar novos começos.

100 anos de Correio de Azeméis é obra!

Parabéns ao Correio de Azeméis pela resiliência que tem vindo a construir, ao longo do tempo, que permitiu e vai, certamente, permitir manter-se como o canal de informação privilegiado da nossa comunidade. 
 

1) TAVARES, Gonçalo M. Atlas do Corpo e da Imaginação. Teoria, fragmentos e Imagens – Lisboa: Relógio de Água, 2019, p.36.
2)TAVARES, Gonçalo M. Atlas do Corpo e da Imaginação. Teoria, fragmentos e Imagens – Lisboa: Relógio de Água, 2019, p.36.
3)MENDONÇA, Tolentino. “Tempo de férias”, in A Revista do Expresso, edição 2538, 18 de junho de 2021.
4)TAVARES, Gonçalo M. “Rapidíssima reflexão sobre o século já quase antiquíssimo”, in A Revista do Expresso, edição 2580, 8 de abril de 2022. 
 

 * Arquiteta de Oliveira de Azeméis
anadacostaesilva@correiodeazemeis.pt 

Partilhar nas redes sociais

Comente Aqui!









Últimas Notícias
Caima-Azeméis FM Rádio, 89.7 Mhz, assegura a radiodifusão no concelho
21/05/2024
Funeral de Aldina Valente será amanhã, terça-feira, pelas 17h30
20/05/2024
USF Salvador Machado dispõe de uma Comissão de Utentes
20/05/2024
Decretado Luto Municipal pelo falecimento de Dª Aldina Valente
20/05/2024
Colaboradores do Grupo Simoldes deram o último adeus a Aldina Fernandes Valente. Veja o vídeo do momento
20/05/2024
Coligação Pelas Pessoas PSD/CDS-PP toma posição sobre JI de Nogueira do Cravo
20/05/2024
Oliveirense em vantagem nos quartos de final
19/05/2024
Só um ‘milagre’ evita a descida do FC Cesarense
19/05/2024