Solidariedade, voluntariado e Democracia

Helena Terra

O dia 05 de dezembro é o Dia Internacional do Voluntariado. Os dados disponíveis em Portugal são relativos ao ano de 2018, uma vez que os tempos de pandemia tornaram mais difícil esta contabilidade estatística. Em 2018, verificou-se que 695 mil pessoas com mais de 15 anos participaram em atividades voluntárias sem qualquer tipo de remuneração. E, note-se que estes números são, apenas e só os do voluntariado formal, bem sabendo nós que há muito voluntariado informal que escapa a esta contagem.

Em cada ano, a ONU, propõe um tema de reflexão para a comemoração deste dia. Este ano o tema escolhido é o da solidariedade. Solidariedade é um vocábulo que emerge do francês e que significa a identificação com o sofrimento de qualquer pessoa e, principalmente, a disposição para a ajudar, quer solucionando, quer amenizando o problema que provoca aquele sofrimento. Ser solidário não é dar esmola porque a construção de uma sociedade mais justa é responsabilidade de todos. Há quem confunda solidariedade com compaixão e com esmola, mas nem um nem outro são sinónimos de solidariedade. 
Compaixão é o sentimento benévolo que a infelicidade ou o mal alheio inspiram no outro o sentimento de partilha de sofrimento.
Por sua vez, esmola significa dar de graça, dar sem interesse de receber de volta, dar sem egoísmo, sem pedir recompensa, em atitude de compaixão, mas a prática remete-nos para uma dádiva de algo que não nos faz falta, não obstante não ser esse o espírito bíblico levado este até ao fim.
A solidariedade que, este ano será objeto de reflexão não é a solidariedade entendida como um mero sentimentalismo, mas como um valor humano firme e perseverante que faz com que as pessoas se sintam responsáveis umas pelas outras. 
As forças políticas e o governo têm de demonstrar um interesse muito maior por esta área, a do voluntariado solidário, que permite dar maior consistência à democracia, na medida em que reforça a dimensão da democracia participativa. Afinal, um dos bens maiores da democracia é o esforço coletivo para atingir o bem-estar de uma determinada comunidade, diminuindo as desigualdades e criando oportunidades para todos.
É por demais evidente que o pleno bem-estar, não se consegue à custa dos outros, mas somado com o dos outros, assim se cumprindo a democracia.
 * Advogada
 

Partilhar nas redes sociais

Comente Aqui!









Últimas Notícias
Oliveirense em vantagem nos quartos de final
19/05/2024
Só um ‘milagre’ evita a descida do FC Cesarense
19/05/2024
SC Bustelo fica no Campeonato Sabseg
19/05/2024
Faleceu Norberto Martins
19/05/2024
Oliveirense despede-se com derrota diante o Leixões
19/05/2024
“Foi uma reconhecida benemérita da comunidade de Oliveira de Azemeis”
18/05/2024
Faleceu Aldina Valente
18/05/2024
Oliveirense vence o Póvoa e segue para as meias-finais
17/05/2024